HISTÓRIAS DO FUTEBOL – CARLOS VALDERRAMA, “EL PIBE”

   02 de Setembro de 1961, Santa Marta, República da Colômbia. Sob a conturbada atmosfera de um país ainda hoje mais famoso pelas guerrilhas, golpes, tráfico de drogas e armas do que pelo futebol, surgia um bebê que colocaria seu nome e o de seu país nas principais páginas do esporte. Nascia Carlos Valderrama, o maior representante da história da Seleção Colombiana.

Senhorio do conjunto de cabelos e bigode mais famosos no futebol, era também dotado de técnica e visão de jogo únicas, que o fazem ser lembrado até hoje como um dos grades camisas 10 da história. A chamativa coroa loira de caracóis de Valderrama rodou o mundo quando, no fim da década de 1980, atuando pelo América de Cali, ganharia o prêmio de melhor jogador do continente sul-americano.

Assim, não demorou a aparecerem propostas advindas da Europa. Uma delas, do Montpellier da França, lhe aguçou o desejo e acabou para lá se transferindo, clube onde atuou ao lado de jogadores como Roger Milla, Eric Cantona e Laurent Blanc. Mais tarde, passaria também pelo Valladolid, assim como, de volta à América do Sul, atuaria por Independiente Medellín e Junior Barranquilla. Como vários astros do esporte, encerraria sua carreira nos Estados Unidos, no Colorado Raptors.

Porém, seus feitos de maior relevância foram por atuações com a Seleção. Seus passes precisos e jogadas fantásticas corriam por televisores por toda a América Latina, e logo se transformou em um dos jogadores mais queridos de seu país, quiçá do continente. Como capitão da equipe, levou sua seleção à Copa do Mundo em 1990, 28 anos após a última presença, onde tiveram uma participação louvável. Foram eliminados nas oitavas, mas com boas expectativas para o próximo mundial, com um time promissor liderado pelo craque de bigode.

Nas eliminatórias de 1994, Valderrama foi brilhante, inclusive sendo o principal jogador da histórica partida em Buenos Aires, onde os colombianos venceram a seleção de Simeone, Batistuta e Redondo por 5 a 0. As declarações da estrela argentina Diego Maradona, dois dias antes da partida, pareceram mexer com o brio dos “cafetones”, como era conhecia a seleção colombiana. “Não se pode mudar a história, a história não se muda. Nós argentinos sabemos disso. Historicamente, como estamos? Argentina por cima, Colômbia por baixo.”, disse El Pibe em uma de suas entrevistas. Ao fim do jogo, até mesmo ele teve que se render ao talento e à cabeleira de Valderrama.

Apesar da notável campanha pelas eliminatórias, a Colômbia não passaria da fase de grupos na Copa do Mundo de 1994. Quatro anos mais tarde, o jogador ainda disputaria seu último mundial, na França, também sem muito sucesso. Apesar disso, o resgate à alegria o povo colombiano e a avidez em trazer à nação notoriedade e algum motivo de orgulho foram tarefas bem cumpridas.

Anúncios
Esse post foi publicado em CRÔNICAS, DIÁRIO. Bookmark o link permanente.

3 respostas para HISTÓRIAS DO FUTEBOL – CARLOS VALDERRAMA, “EL PIBE”

  1. Marcelinho disse:

    PC, eu me lembro muito bem deste grande jogador, talvez um craque Colombiano. Parabéns pela lembrança e pela matéria. Abraço! Marcelinho.

  2. Marcelinho disse:

    PC, a sugestão seria o trio holandês do Milan das décadas de 80/90 formada por Haikard, Gullit e Van Basten.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s